O incessante trabalho de Gustavo Borges

No último mês de agosto, o quadrinista Gustavo Borges cuidou do envio de mais de 700 exemplares do seu último livro de tirinhas: O Entediante Trabalho de Morte Crens.

Financiada pelo Catarse, a obra complementa os dois volumes de A Entediante Vida de Morte Crens, lançados em 2013 e 2016. Nas tiras, o autor coloca em contraste a beleza das vidas finitas de todas as criaturas da Terra com a infindável existência do “Ceifador”, que nos conquista com sua fofura melancólica.

Além de provocar risos enquanto levanta questões filosóficas, Morte Crens evidencia todas as características de seu criador. Desde o traço cartunesco, mas sempre cheio de personalidade e vida (pegou o trocadilho?), até o cuidado para entregar um material que tenha o melhor acabamento gráfico possível e mantenha a carinha de produção caseira, para não se distanciar do leitor.

Com traços cartunescos, Gustavo Borges traz humor e reflexões para as tiras de Morte Crens.

A leitura fica ainda mais impressionante quando lembramos que Gustavo tem apenas 24 anos e uma porrada de trabalhos publicados!

Entre suas publicações de mais destaque estão as tirinhas de Edgar (2014), que lhe rendeu o troféu HQ Mix de melhor publicação independente; a Graphic MSP Cebolinha – Recuperação (2018); e Pétalas (2015), com cores de Cris Peter, que foi publicado em mais quatro países e concorreu ao prêmio Eisner Awards em duas categorias. Pouca coisa, né?

Mas o jovem autor ainda não quer saber de descanso! Além de ministrar cursos e workshop de curta duração na Dínamo Estúdio (escola de quadrinhos de Porto Alegre), Gustavo está desenvolvendo um novo trabalho ao lado de Eric Peleias: Como Fazer Amigos e Enfrentar Fantasmas, que já está no Catarse!

Gustavo compartilha o processo criativo de uma das páginas de Como Fazer Amigos e Enfrentar Fantasmas.

Em paralelo, voltou a unir forças com Cris Peter para produzir a graphic novel Meia-dúzia de Sapos, que mostrará personagens das mais diversas espécies em uma longa aventura intergaláctica. Por considerar o trabalho mais ambicioso de sua carreira, Borges ainda não tem previsão para o lançamento desta obra, mas garante que a espera valerá a pena!

E a gente não se importa de aguardar mesmo. Afinal, o que interessa para qualquer leitor é que o nosso mercado de quadrinhos abrigue cada vez mais autores como Gustavo Borges, que não param de produzir coisas boas. Que não se cansam nem desistem pelas incontáveis dificuldades que enfrentam. Que não medem esforços para nos inspirar.

Deixe uma resposta