Silva João: Tirinha, porrada e metalinguagem

Em maio de 2018, o quadrinista e ilustrador Silva João publicou na plataforma Tapas as primeiras páginas de HQ de Briga. Com o desenvolvimento da narrativa e o engajamento cada vez maior dos leitores, o autor decidiu buscar colaboradores no Catarse para financiar a impressão do livro que reunirá todos os capítulos lançados até agora, além da conclusão inédita do arco narrativo.

O projeto foi financiado com sucesso, batendo mais de 200% da meta. Acho que só com essa informação já dá pra entender que, além de divertida, a história é muito envolvente, né?

HQ de Briga utiliza todos os clichês de histórias de ação para narrar (de forma totalmente original) a saga do Protagonista que, ao lado do Rival Amigável e do simpático Demônio, viaja do Japão para o Bronx e depois segue para Rio Claro/SP, onde deve encarar o Antagonista e seu exército, os capangas número 1, 2, 3 e 4.

Em HQ de Briga, a porradaria corre solta e o humor não tem limites!

Como o próprio autor define, seus desenhos são enxutos, priorizando a comunicação e a entrega das piadas da forma mais eficaz possível. E, nesse quesito, Silva acerta em cheio!

Quando era criança, sonhava em ser pintor e fazendeiro (acredite se quiser!). Aos poucos, foi abandonando a ideia de tocar gado e voltou a estudar desenho quando ingressou na faculdade de Letras. Hoje, aos 28 anos, reencontrou em suas publicações online a paixão que sentia por seus personagens criados no Ensino Fundamental.

Um apartamento em Rio Claro sem boas doses de pancadaria não é um apartamento em Rio Claro!

Sempre influenciado por Osamu Tezuka e pelos quadrinhos mais antigos de Mauricio de Sousa, Silva enxerga o desenho como um tripé formado pela composição, pelo conhecimento de estruturas e pelo estilo, onde cada autor faz a curadoria de detalhes que acha pertinente para passar a mensagem desejada.

“Por estar muito próximo do que vemos na vida real, o desenho apresenta mais possibilidades de distorções significativas. E são essas distorções que me interessam”, conta Silva. “Por isso, procuro usar signos simples, que me possibilitem criar novas impressões sem que o leitor deixe de reconhecer o que está desenhado”.

O texto de Silva João também chama atenção em seus projetos. Sempre preocupado com a sonoridade das falas dos personagens, o autor costuma brincar com a estrutura gramatical das frases e muitas vezes se desafia para ver qual o menor número de palavras que consegue usar para dizer o que precisa.

“Pelas tirinhas que publico em minhas redes sociais, já percebi que quanto mais verborrágica for a história, pior será o resultado”, explica o autor.

Nos traços de Silva João, a fúria de Deus foi muito bem recebida pelas redes sociais

Apesar da qualidade de suas criações, o quadrinista revela que sempre sentiu o peso da síndrome do impostor e até hoje não acredita no sucesso de suas tiras e principalmente da HQ de Briga. “Esse reconhecimento por algo que eu fiz foi a melhor surpresa que eu poderia ganhar. Quando as pessoas compartilham ou elogiam meu trabalho, faço questão de entrar em contato e agradecer cada uma delas”, conta o autor.

A edição impressa do primeiro volume de HQ de Briga ficará pronta até a Comic Con Experience deste ano, que acontece entre os dias 5 e 8 de dezembro, mas você já pode encontrar este e outros títulos do autor através do Tapas ou de seu Twitter e Instagram.

2 comentários

Deixe uma resposta