Review: Trilogia Nico

Após uma campanha de financiamento coletivo bem-sucedida no Catarse, o quadrinista e ilustrador Matheus Mendes publicou a terceira parte do gibi Nico, concluindo a história do assistente de arte que queria se tornar herói.

Mendes começou a publicar os quadrinhos de Nico na plataforma online Tapas em março deste ano, mostrando como o protagonista Nicolau encontrou sua mesa digitalizadora mágica e iniciou sua jornada para derrotar um ser decidido a acabar com todos os funcionários improdutivos que encontrasse pela frente.

Com uma linguagem divertidíssima e abordando questões permanentes na vida de todo profissional da área de comunicação, não demorou para que a primeira parte da história viralizasse nas redes sociais do autor e o público cobrasse as continuações.

A parte 2 chegou em maio e manteve os desenhos fofos, cheios de movimento e personalidade, que tornam a história ainda mais engraçada e cativante. Este capítulo traz ainda algumas revelações e muito mais pancadaria. Nada de moleza para o jovem Nico!

A história se encerra com lutas épicas e muito bom humor, deixando até uma brecha para que o personagem volte com novas aventuras no futuro – o que eu torço muito para que aconteça! Afinal, o cenário nacional de quadrinhos ainda é carente de personagens marcantes, com potencial para virarem revistas mensais, filmes, séries e tudo mais que os personagens da Marvel e da DC já alcançaram.

Além de apresentar um protagonista que cai facilmente nos gostos do leitor, Nico ainda contextualiza histórias fantásticas em uma realidade muita próxima da nossa, o que nos faz acreditar que tudo aquilo pode mesmo acontecer. Os personagens coadjuvantes também são bem construídos e ajudam a sustentar a narrativa com maestria.

Se você ainda não leu nem a primeira parte de Nico, o meu conselho é que você adquira os três livros e leia tudo em uma tacada só, já que o roteiro é bastante dinâmico e viciante! Você pode comprar os gibis pelo site da UGRA ou entrando em contato direto com o Matheus.

3 comentários

Deixe uma resposta