Review: VHS – Video Horror Show

Sem dúvidas, VHS – Video Horror Show foi um dos quadrinhos nacionais mais comentados do segundo semestre de 2019. A coletânea de histórias de terror publicada em formato de fita de vídeo chamava a atenção de qualquer um que passasse pelas feiras e eventos de HQs.

Lançada oficialmente na CCXP 2019 (Comic Con Experience) pelo selo independente Beelzebooks, a obra tem 280 páginas e reúne 28 artistas em 13 histórias que resgatam os filmes mais trash que habitavam as videolocadoras dos anos 80 e 90.

Adianto que é impossível folhear a HQ sem se apaixonar pelo capricho da edição ou pela diversidade de desenhos e estilos que encontramos ali dentro. Tudo isso provoca uma sensação enorme de nostalgia antes mesmo de começarmos a ler.

Ao iniciarmos a leitura, porém, fica claro que a escolha editorial pelo formato de uma fita dificulta bastante o manuseio das páginas. Outro puxãozinho de orelha que precisa ser dado é que muitos espaços foram comidos em diversos textos. Mas se você quer minha opinião sincera, eu acho que isso ainda contribuiu com o ar mais “underground” que os autores quiseram passar.

Sobre as histórias

Por mais que alguns quadrinistas tenham optado por narrativas mais divertidas, não tem uma única história que não te provoque pelo menos uma sensação de nojinho. Tem bode possuído, bebê crucificado, rituais satânicos e sangue pra todo lado! Um prato cheio pra quem vivia alugando os “piores” filmes de terror das locadoras ou pra quem se arrisca a baixar essas obras pela internet hoje em dia.

As histórias são bem curtinhas, o que é ótimo pra quem quer ir saboreando tudo aos poucos. O lado negativo é que elas apresentam conceitos tão interessantes que poderiam ter sido desenvolvidos de forma ainda mais impressionante se os artistas tivessem mais páginas para trabalhar.

Ao final da leitura, você percebe que o que tem em mãos é um valioso catálogo de artistas com estilos diferentes de narrativas e desenhos, mas todos com uma capacidade absurda de te provocar pesadelos. Vale a pena tirar um tempinho para buscar o trabalho de cada um deles. Para ajudar nessa tarefa, listo todos logo abaixo:

A casa em um lugar que não existe (Joel Caetano | Azrael Aguiar)
Em meio a uma discussão de casal, a mulher tenta conter o homem que, num rompante de ódio, decide atacar a criança. Essa ação desencadeia uma série de acontecimentos que culminarão em uma fantástica e violenta viagem pelo inimaginável.

Abramellin (Bernardo Aurélio | Caio Oliveira)
Uma youtuber com vídeos de temática ocultista chama a atenção de um grupo e é convidada a participar de um projeto de reality show, exibido ao vivo diariamente pelo youtube. O objetivo o projeto é realizar um ritual chamado Abramellin, no qual ela deverá passar 1 ano inteiro sem praticar sexo, sem se alimentar de carne, sem se expor à luz solar do dia, vivendo no meio de uma floresta, isolada numa cabana.

A nova ordem (Rodrigo Ramos | Leopoldo Anjo)
Um casal deve enfrentar uma horda de criaturas pelas ruas da cidade em seu caminho para a sede de um grande conglomerado midiático de onde uma série de ordens é enviada para transformar humanos em vermes.

Ave Satana (Airton Marinho | Marcelo Damm)
Os conflitos entre dois irmãos irão tomar rumos sinistros quando a irmã leva pra casa mais um animal acolhido pela ONG onde trabalha: um bode negro salvo de um sacrifício.

Carpe Diem (Leander Moura | Cristal Moura)
Isolados numa muralha, duas sentinelas conversam sobre assuntos banais. Uma fala sem parar enquanto a outra, que apenas ouvia em silêncio, adormece e “vivencia” uma experiência talvez mais real e cruel do que o mundo que as cerca…

Controle de pragas abençoado (Hedjan C.S. | Marcel Bartholo)
Acompanhe uma jovem dedetizadora da Gideão Controle de Pragas em sua missão sagrada de livrar a Terra do pior tipo de praga.

Elusiva (Larissa Palmieri | Joane Barros)
Uma cientista genial especializada no estudo de insetos faz diversos experimentos bizarros e proibidos com o cruzamento de mamíferos e invertebrados… o que poderia dar errado?

Monga: a sedução dos inocentes (Victor Freundt | Daniel Sousa)
Um padre é chamado para fazer um favor um tanto peculiar: dar a extrema-unção para MONGA, a mulher-gorila, que acabara de morrer no parto. Porém, nem tudo é o que parece e os segredos obscuros do circo colocarão em xeque a fé de um homem que julga aquilo que não conhece com uma verdade que não lhe cabe…

O Atalho (Alessio Esteves | Tiago Palma)
Após se ferir ao buscar abrigo de uma forte chuva em uma construção abandonada, Paulo irá descobrir que nem sempre toda ajuda é bem vinda.

Sci-Fire (Antonio Tadeu | Michell Ed)
Em algum ponto do futuro, uma empresa vende pacotes de safáris interdimensionais para que pessoas ricas e cruéis possam caçar criaturas e humanos fora da jurisdição terrestre. Entretanto, alguma coisa dá errado e a CWAT (Cyber Warfare Against Terrorism) é acionada.

Tentáculos do prazer (Felipe Morcelli | Ricardo Carandes)
Bebendo da mesma fonte de Clive Barker e inspirado no caso da menina Eloá, de 2008, esta história nos mostra como o homem pode ser violento quando é influenciado – e enganado – pela religião, pelo passado e pela falta de conhecimento.

Turismo Macabro (Fernando Barone | Samuel Sajo)
Cansado das multidões nos pontos turísticos de Roma, um jovem arrogante e preguiçoso fará um acordo do qual se arrependerá amargamente…

Verme (Bruno Bispo | Victor Freundt)
Após perderem a comunicação com um laboratório experimental, um grupo de pesquisadores e militares entram no complexo buscando respostas, mas talvez fosse melhor ficar com as perguntas.

A obra conta ainda com uma mini-história de Kiko Garcia e capa de Dudu Torres.

Se você ficou com vontade e acha que tem coragem o suficiente para ler essa coletânea, você pode comprar sua edição de VHS – Video Horror Show por R$50,00 neste link.

Um comentário

Deixe uma resposta