Guará anuncia quadrinhos focados na realidade Brasileira

Durante a Quarentena Con, realizada no YouTube durante os dias 30 e 31 de maio (leia), a editora Guará, idealizadora do evento, anunciou quatro publicações para este ano.

Os novos quadrinhos trazem a infinitude do universo para a realidade brasileira atual. De acordo com o diretor Gabriel Wainer, o objetivo é resgatar a acessibilidade e a essência dos gibis encontrados em bancas, nas décadas passadas, porém com produção totalmente nacional. Por isso, a editora definiu como formato de publicação edições episódicas, com média de 24 páginas, que podem ser compiladas em arcos fechados.

As HQs poderão ser adquiridas online a partir de julho, com preços bem acessíveis. Mas vale lembrar que a Guará prevê também a distribuição dessas histórias em bancas, em formato de almanaques mensais, após a estabilização da pandemia do novo coronavírus.

Confira os títulos anunciados:

Cidadão Incomum – A Ponta do Iceberg (Roteiro e ilustrações: Pedro Ivo)

Cidadão Incomum – A Ponta do Iceberg, de Pedro Ivo, expande, nos quadrinhos, o universo criado no livro O Cidadão Incomum (Conrad, 2017), cujos direitos de adaptação para as telas foram adquiridos pela O2 Filmes. A HQ explora o que aconteceria se, no Brasil, pessoas de diversas classes sociais, etnias e orientações sexuais desenvolvessem superpoderes. Na trama, um assalto a ônibus une os destinos de três personagens completamente distintos entre si. Zika, um criminoso sem teto, Caliel, um inexperiente super-herói incapaz de controlar os próprios poderes, e Érico Loschiavo, um policial honesto e desiludido com o sistema, que luta contra um trauma pessoal e o vício em cocaína. 

Ecos (Roteiro: Lauro Kociuba/ Ilustrações: Rapha Pinheiro/ Arte-final: P.R. Soliver / Cores: Vitor Wiedergrün)

Ecos, lançamento em parceria com a Elements Gaming, explora o universo criado pela empresa de cadeiras gamers. Com roteiro de Lauro Kociuba, ilustrações de Rapha Pinheiro, arte final de P.R. Soliver e cores de Vitor Wiedergrün, o quadrinho é ambientado em um mundo em que os rios secaram, os mares recuaram e o chão esticou-se sobre a terra. Kenneth vive nas ruínas dessa terra arrasada e, de lá, ele parte em sua jornada por uma vida melhor. É acompanhando-o que o leitor perceberá que as ações desse universo ecoam em nossa própria realidade.

Teocrasília (Roteiro e ilustrações: Denis Mello/ Cores: Alexandre Contador) – EM NOVO FORMATO

Quando a resignação e o dogma se tornam o espírito de um novo tempo, tudo o que resta é a resistência e a fé que pode se originar da luta. É nesse mundo tomado pela religião que Teocrasília, de Denis Mello, é ambientado. O quadrinho propõe um mergulho quase sem volta em um futuro distópico, não muito distante. Nessa realidade, a bancada religiosa da política brasileira, denominada “Divino Altar”, domina o país e institui um regime teocrático. Como frente opositora às autoridades que regem esse novo mundo, o autor apresenta Vicky, Yuri e Gambino, aliados na batalha contra a tirania.

Eu sou Lume (Roteiro e ilustrações: PJ Kaiowá/ Cores: Natália Marques, Fabi Marques e Letícia Pusti) – EM NOVO FORMATO

Em Eu sou Lume, PJ Kaiowá apresenta ao leitor Ludmila Gonçalves. Cria da comunidade Esperanza, a jovem sonha com uma carreira artística, mas se vê em um conflito de mundos: mora na periferia e é bolsista em uma escola de elite. Com apenas 16 anos, Mila já carrega em sua história uma verdadeira batalha pela vida. Ela é sobrevivente do que ficou conhecido como Escândalo das Clínicas, quando moradores da comunidade morreram ou desapareceram após consultas em clínicas populares, financiadas por entidades filantrópicas particulares. Como no jogo pelo poder, a vida não vale nada, Ludmila só tem uma escolha: revelar a todos a verdade. Assim, a protagonista assume a identidade da heroína Lume, com a missão de trazer luz para um mundo que insiste em se manter na escuridão.

5 comentários

  1. Interessante.
    Mas e continuação dos lançados ano passado?
    Tenho muita vontade acompanhar Pérola e o Santo.

    1. Oi, Jeferson!

      Como a Guará passou por algumas mudanças editoriais, precisou adiar a continuação de alguns títulos. Ainda não há previsão para publicação, mas a intenção é continuar essas séries, sim!

  2. Que bom ver a Guará expandindo suas publicações. Aguardo o volume 2 do Santo e das outras publicações anteriores.

Deixe uma resposta