Review: Cordélia

Reconhecer e receber de braços abertos as transformações que a vida nos proporciona não é nada fácil. Em Cordélia, Tali Grass mostra como toda mudança, por mais dolorosa que seja, também tem sua beleza.

Eu poderia ser um pouco menos filosófico e dizer que essa HQ fala sobre o processo de luto ao perder alguém querido, mas isso seria uma tremenda injustiça. Afinal, Cordélia é uma obra que precisa ser lida com o coração e não pode ser descrita de forma tão simples.

Em formato 17 x 24 cm, o quadrinho parece ser bastante singelo, mas pode acreditar que o seu conteúdo vai te atingir com força total!

Cordélia - capa

O roteiro feito por Tali casou muito bem com os desenhos em preto e branco de Ana Mei. A ilustradora conseguiu transitar com tranquilidade entre os momentos melancólicos e alegres, valorizando também as metáforas que a história propõe.

E, como Cordélia traz um olhar diferente (talvez até ousado), para um tema tão complicado e pesado que as pessoas costumam fazer de tudo para evitar, o meu conselho é que você leia a HQ em um dia de folga e tranquilidade. Para que você possa fechar a obra e passar um tempinho refletindo sobre o significado de tudo que leu.

Outro ponto positivo desse trabalho é que ele é acessível para qualquer pessoa, mesmo para quem não está acostumado a ler quadrinhos. Com linguagem simples e desenhos encantadores, todo mundo consegue entender e se emocionar.

E se você quiser comprar o seu exemplar de Cordélia, é só preencher esse formulário ou mandar uma mensagem para a Tali Grass em seu Instagram.

Deixe uma resposta