Review: O Príncipe e a Costureira

Hoje eu tenho um grande desafio em mãos: falar tudo o que gostaria de falar sobre O Príncipe e a Costureira, da americana Jen Wang.

A obra chegou ao Brasil em 2020, pela Darkside, em formato 16x23cm, com um recado importantíssimo: “Produto recomendado para quem sabe que podemos ser felizes e plenos sendo quem realmente somos”.

Com 304 páginas, a HQ narra a história do príncipe Sebastian que, seguindo ordens de seus pais, precisa escolher uma mulher para se casar. Mas o jovem está muito mais interessado em explorar a sua vida secreta, onde pode usar vestidos e conquistar Paris como Lady Crystallia – o mais novo ícone da moda.

E como você deve imaginar pelo título, a fama de Crystallia se deve à talentosíssima costureira Frances, sua melhor amiga. Mas, como ninguém pode descobrir a verdade por trás dessa nova “celebridade”, o talento da garota também precisa ser mantido em segredo, o que vai causar frustrações e colocar a amizade dos dois à prova.

O Príncipe e a Costureira - capa

Agora preciso dizer que o que mais me impressionou durante a leitura de O Príncipe e a Costureira, não foi o quanto me identifiquei com Sebastian (porque eu já imaginava que isso aconteceria), mas sim a sensibilidade e a precisão de Jen para retratar tudo que se passa na cabeça de um homem que se permite viver essas experiências. Desde a sensação reconfortante de se olhar no espelho e reconhecer a figura que parecia só existir na imaginação, até as preocupações por achar que você vai magoar ou decepcionar as pessoas que estão ao seu redor.

Com o passar das páginas, o leitor vai compreendendo junto com Frances como essa nova identidade, apesar de ter o poder de destruir a reputação de um reino inteiro, ajuda o protagonista a trabalhar sua autoestima e confiança, além de proporcionar muitos momentos felizes.

Sem querer entregar muito da história, mas outro fator importantíssimo dessa HQ é que o príncipe não é gay. Claro que não teria o menor problema se fosse o caso, mas ainda é muito importante que as pessoas entendam que a forma como alguém se veste, ou o gênero com o qual se identifica, não tem relação com a sexualidade.

Posso dizer também que a relação de cumplicidade e apoio mútuo entre Sebastian e Frances é perfeita. É emocionante ver o quanto o príncipe admira a costureira por seu talento e aprecia a sua amizade. E vice-versa, é claro.

O Príncipe e a Costureira - páginas

E eu não posso comentar uma obra dessas sem falar da parte visual, né? Os desenhos da autora são encantadores, cheios de vida e personalidade. Com o seu trabalho impecável para colorir, o leitor se sente dentro de um verdadeiro conto de fadas (só que mais moderninho, com representatividade e pronto para quebrar tabus).

Como sempre, a edição da Darkisde só realçou a beleza da obra. Com capa dura e várias referências à materiais de costura ao redor do livro, O Príncipe e a Costureira ficou encantador por dentro e por fora.

A HQ está à venda no site da editora por R$79,90 e eu já não tenho mais palavras pra dizer o quanto eu recomendo essa leitura.

Deixe uma resposta