Review: Cabeça de Capivara

É engraçado como parece que algumas obras resolvem chegar às nossas mãos na hora em que mais precisamos. Foi o caso de Cabeça de Capivara, do André Ota “Tofu Verde”, que eu li em um momento bastante introspectivo do meu isolamento social.

A obra, lançada de forma independente em 2019, conta a história de um rapaz que acorda de um sonho estranho e, em vez de uma cabeça humana, tinha uma cabeça de capivara. Isso acaba se tornando a desculpa perfeita para que ele pudesse se isolar definitivamente do mundo.

O quadrinho não traz outras personagens e nem tem balões de fala. Também não chegamos a descobrir o nome do protagonista e mal conseguimos ver como é o seu rosto real, mas isso não impede a identificação com os seus relatos.

Cabeça de Capivara - Capa

Tudo é descrito com tanta honestidade que faz parecer que estamos lendo o diário de alguém que estava passando por uma fase muito difícil, onde se distanciar das pessoas parecia ser a única alternativa.

E que jogue a primeira pedra quem nunca se sentiu horrível e assumiu responsabilidade total por ver seus relacionamentos desandarem, seja com amigos, no namoro ou no trabalho. “Ganhar” uma cabeça de capivara é só o estágio final desse processo de culpa e necessidade de se isolar.

Cabeça de capivara - página

Os desenhos em preto e branco do Tofu Verde dão ainda mais peso a essa espécie de conto Kafkiano. Além de conseguir transmitir a sensação de clausura em cada um dos quadros, a transformação do protagonista ficou tão bem detalhada que chega a dar arrepios.

Pra resumir, Cabeça de Capivara é uma obra introspectiva, sincera e belíssima. Você pode garantir a sua edição no site do André, por R$30,00.

Deixe uma resposta